4.5.08

Ontem, matei meu dente

Ele sempre foi um tímido.
Último da fila, esticava o pescoço para ver o mundo aqui fora.
Como mãe ocupada de muitos filhos - 28, para ser exata -, nunca lhe dei a devida atenção.
Na única vez em que pediu ajuda, queixando-se do irmão mais novo, sem juízo, que o empurrava pela raiz, defendi-o. Por compaixão, por seu jeito triste de me pedir, para castigar quem queria se impor à força, optei por ele. Naquela época, não temia o futuro.

Sofreu o primeiro baque ao encarar uma barra de cereais. O acidente levou-lhe uma parede, uma parede e meia, mais uma pontinha, uma lasca. Sobreviveu e, a mim, ofereceram água. Bochechei e cuspi.

Ontem, duas paredes, já cansadas pela falta da outra, desabaram e, entre escombros, resta agora apenas uma solitária pilastra, condenada à demolição.

Se foi um gergelim escapulido da baguete?
Quem saberá?
Adeus, meu segundo molar.

Agradecimentos especiais:
- à Dra. Lília, que me salvou no meio do fim-de-semana, retirando os últimos destroços.
- à Dra. Débora, que garantiu 3 anos de sobrevida após o primeiro bombardeio.

5 comentários:

bbst_sbt disse...

tadinho do dente,
chique no RJTV.
quem pódeeeeee, pódeeeeee!
mas eu sou da BAND! aahauahuahua
Te adorooooo
saudades bjs

Angélica Lopes disse...

triste, né?
mas vou me recuperar!

Lá Cristina disse...

Coitado....


Beijitossssss

Mari Martins disse...

poooxa, doeu muito? =(

beeijo !

Angélica Lopes disse...

Doeu!
Mas tive uma boa noticia:
as raizes do coitadinho eram fusionadas.
Ou seja, em vez daquelas quatro perninhas, ele tem uma grossa.

Uma anomalia que é ÓTIMA para meter um pino dentro e colocar um dente fake em cima!

Ou seja, meu dentinho moribundo, ainda continuará vivo, não apenas no meu coração e na minha lembrança, mas da gengiva para baixo.

OBS: Mari, ficar velha é uma M!
Aproveita seus 15 anos e vai escovando esses dentinhos!

bjssssss

8.5.08